Na antecâmara do romance pastoril: género e paródia na Menina e Moça de Bernardim Ribeiro

  • Marta Marecos Duarte
Palavras-chave: Menina e Moça, Bernardim Ribeiro, novela sentimental, bucolismo, paródia

Resumo

A partir de uma revisitação da presença do código bucólico na obra, este texto pretende demonstrar em que medida a Menina e Moça ilustra o processo de desagregação de géneros literários que faz do romance um género em formação e, por isso, de fronteiras instáveis. A figura da paródia, na aceção moderna que vem assumir na teorização de Bakhtin (1975) e de Hutcheon (1985), permite definir o mecanismo de apropriação e transformação dos códigos instituídos que tem lugar no texto de Bernardim Ribeiro.

Biografia Autor

Marta Marecos Duarte

Marta Marecos Duarte é investigadora de doutoramento no Centro de Literatura Portuguesa da Universidade de Coimbra. Interessando-se pela literatura dos séculos XVI, XVII e XVIII, prepara atualmente uma tese sobre o poeta tardo-barroco Francisco de Pina e Melo, estudando as suas relações com o contexto cultural da Ilustração portuguesa e europeia. Em 2010 defendeu, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, uma dissertação de mestrado sobre o tema do amor e do desejo na Menina e Moça de Bernardim Ribeiro, texto que editou recentemente (2015).

Publicado
2018-03-03
Secção
Artigos