Conselho Científico Consultivo

Ana Isabel Moniz é Professora Associada na Universidade da Madeira, onde se doutorou na especialidade de Literatura Francesa (2003). Realizou o Pós-Doutoramento em Literatura Portuguesa Contemporânea, na Universidade de Lisboa, apoiado pela FCT. É membro integrado do Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa, onde coordena (PI) o Cluster Viagem e Utopia. Integra, ainda, como membro colaborador, o Instituto de Literatura Comparada Margarida Losa (Universidade do Porto), o Grupo de Investigação LIHAM – CEHUM (Universidade do Minho) e o Grupo de Investigação t3 AxEL (Universidad de Zaragoza). Áreas privilegiadas da sua investigação: Literatura Portuguesa, Francesa e Comparada da contemporaneidade.

 

Ângela Fernandes é professora associada de Estudos Hispânicos no Departamento de Literaturas Românicas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, e investigadora integrada do Centro de Estudos Comparatistas, onde coordena o subgrupo de investigação DIIA – Diálogos Ibéricos e Ibero-Americanos. Principais publicações: A Ideia de Humanidade na Literatura do Início do Século XX. Huxley, Malraux, Gómez de la Serna (2013), Looking at Iberia. A Comparative European Perspective (ed. com S. Pérez Isasi, 2013) e Iberian and Translation Studies. Literary Contact Zones (ed. com E. Gimeno Ugalde e M. Pacheco Pinto, 2021).

 

Ariadne Nunes (doutoramento em Estudos de Literatura e Cultura, Estudos Comparatistas, 2014) é, actualmente, bolseira de pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, integrada no IELT – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição, da Universidade Nova, com um projecto intitulado “O Conselheiro Aires e o problema do livro em Machado de Assis”. Integra o projecto ENTRIB – Entremezes Ibéricos: inventariação, edição e estudo, do Centro de Estudos de Teatro, e faz parte da Equipa Camilo, do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, no âmbito do qual co-editou (com Cristina Sobral) recentemente Coração, cabeça e estômago, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 2019. Fez parte da equipa responsável pela Edição Crítica da Crónica de D. João I – Parte I, de Fernão Lopes, no Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa. É co-editora, com Marta Pacheco Pinto e Joana Moura, do livro Genetic Translation Studies: Conflict and Collaboration in Liminal Spaces, Bloomsbury, 2021.

 

Carlota Pimenta Doutorada em Crítica Textual (FLUL), com uma tese sobre a génese de Novelas do Minho, de Camilo Castelo Branco, é professora de Português Língua Estrangeira na Universidade Católica Portuguesa e investigadora do Grupo Filologia (CLUL). Coeditou obras de Camilo Castelo Branco e colaborou na edição crítica da Crónica de D. João I – parte I, de Fernão Lopes, publicadas pela INCM. Participou na edição de manuscritos portugueses da Regra de S. Bento e de autógrafos de Leite de Vasconcelos e M. S. Lourenço (edição digital). Concluiu o Curso Complementar de Música e a Licenciatura em violino na Academia Nacional Superior de Orquestra.

 

Claudia J. Fischer é Professora Auxiliar de Estudos Germânicos na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (FLUL), tendo concluído o doutoramento em Teoria da Literatura (FLUL, 2007). Coordena a equipa de investigação dedicada às relações interartes, nomeadamente Literatura e Música, no Centro de Estudos Comparatistas da FLUL. Publicou uma monografia, Sobre Graça e Graciosidade. Uma digressão, com particular incidência nas teses de Schiller e Kleist (Verbo, 2016), e Contos Musicais. Wackenroder, Kleist e Hoffmann (Antígona, 2017), uma antologia de narrativas sobre música do Romantismo Alemão. Na área dos Estudos Pessoanos, co-editou Argumentos para Filmes (Babel, 2011) e Teatro Estático (Tinta da China, 2017), tendo publicado também Real, Pessoal Plural, Portuguese Literary & Cultural Studies e The Translator. Tem desenvolvido, também, trabalho de tradução literária, tendo publicado traduções de Thomas Mann, Rainer Maria Rilke, Walter Benjamin, Rainer Werner Fassbinder e, recentemente, ao lado de Vera San Payo de Lemos, Tempo do Coração (Antígona, 2020), a correspondência entre Ingeborg Bachmann e Paul Celan. Para mais informações: https://cfischer.weebly.com/.

 

Everton V. Machado é Investigador Principal da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Docente em programas de Mestrado e de Doutoramento da área de Literaturas, Artes e Culturas. Integrado no Centro de Estudos Comparatistas, foi o seu vice-director entre 2016 e 2019. Doutorou-se em Literatura Comparada pela Universidade de Paris-Sorbonne/Paris IV em 2008. Entre as suas publicações encontram-se O Orientalismo Português e as Jornadas de Tomás Ribeiro: caracterização de um problema (Lisboa, BNP, 2018), finalista do Prémio PEN Clube de 2019 na categoria Ensaio, e uma edição científica do primeiro romance de língua portuguesa da Índia, Os Brahamanes (1866) de Francisco Luís Gomes (Paris, Classiques Garnier, 2012).

 

Federico Bertolazzi nasceu em Terni, Itália, em 1973. Doutorado pela Universidade de Lisboa, é professor de Literatura Portuguesa na Universidade de Roma «Tor Vergata» e responsável científico da Cátedra Agustina Bessa-Luís. Entre os seus estudos destacam-se Noite e Dia da Mesma Luz. Aspectos da Poesia de Eugénio de Andrade (Lisboa, 2010); Con la Notte di Profilo. Brevi saggi su Eugénio de Andrade (Roma, 2011); Por Mares que só Eu Sei. Le canzoni, il teatro, la prosa di Chico Buarque (Roma, 2011). Traduziu e organizou as edições italianas de Luís de Camões, D’Amor sì Dolcemente. Antologia di sonetti (Livorno, 2019); Maria Teresa Horta, Mia Signora di Me (Livorno, 2018); Al Berto, Orto di Incendio (Firenze, 2017); Sophia de Mello Breyner Andresen, Come un Grido Puro (Milano, 2013); David Machado, Lasciate Parlare le Pietre (Roma, 2012); Orlando Ribeiro, Portogallo. Il Mediterraneo e l’Atlantico (Roma, 2012); José Maria Vieira Mendes, Mia moglie (Roma, 2008); Eugénio de Andrade, Dal Mare o da Altra Stella (Roma, 2006); José Cardoso Pires, Gli Scarafaggi (Roma, 2006); Ivo Castro, Storia della Lingua Portoghese (Roma, 2006); Lygia Fagundes Telles, Ragazze (Roma, 2006), entre outros.

 

Jennifer Goodlander é Professora Associada na Universidade de Indiana, no Departamento de Literatura Comparada. Publicou vários artigos e dois livros: Women in the Shadows: Gender, Puppets, and the Power of Tradition in Bali (Ohio University Press, 2016) e Puppets and Cities: Articulating Identities in Southeast Asia (Bloomsbury Methuen Drama, 2018). Interpretou wayang kulit Balinês em festivais internacionais e em várias partes dos Estados Unidos da América. De momento, a sua investigação tem como foco identidades transnacionais no Sudoeste Asiático expressas através da performance, literatura e arte. Recentemente, Jennifer foi a anterior Presidente da Association for Asian Performance.

 

Inocência Mata é doutora em Letras pela Universidade de Lisboa e pós-doutora em Estudos Pós-coloniais pela Universidade de Califórnia, Berkeley; é professora da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, na área de Literaturas, Artes e Culturas, e investigadora do Centro de Estudos Comparatistas (CEComp). Foi, de 2014 a 2018, professora na Universidade de Macau, onde exerceu com uma licença especial do Reitor da ULisboa, tendo sido vice-diretora do Departamento de Português da Universidade de Macau, coordenadora do Programa de doutoramento, PhD in Literary and Intercultural Studies (Portuguese), e diretora do CIELA (Centre for Luso-Asian Studies/ Centro de Estudos Luso-Asiáticos). Actua principalmente e interessa-se pelos seguintes temas: literaturas africanas, literaturas em língua portuguesa, relações estéticas entre literaturas em português, história da cultura, estética da memória, produção literária de autoria afro-descendente em Portugal. Tem proferido conferências em universidades de África, Europa, África, Américas e Ásia e tem publicado na área de literaturas e culturas africanas, literaturas em português e estudos pós-coloniais e culturais.

 

Luís Manuel Gaspar Cerqueira é Professor Auxiliar da Faculdade de Letras de Lisboa, Doutorado em Literatura Latina pela Universidade de Lisboa em 2000. Fez formação musical no Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música de Lisboa, em órgão. Tem leccionado vários níveis de Latim e de Literatura Latina, Cultura Medieval, Música e Literatura. Interessa-se por épica latina, musicologia medieval, relações entre a música e a literatura. Tem publicado artigos sobre épica clássica, em particular sobre Vergílio, musicologia medieval, música e literatura. Publicou também várias traduções de clássicos latinos, tendo recebido dois prestigiados prémios de tradução literária.

 

Luísa Afonso Soares é Professora Associada na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Concluiu o doutoramento em Literatura Alemã em 1998 na mesma Universidade, onde lecciona Literatura Alemã, Cinema Alemão, Estudos de Género e História das Ideias Contemporâneas. Integra o corpo docente do Programa Internacional de Doutoramento em Estudos Comparatistas, do Programa de Cultura e Comunicação (FLUL) e do Doutoramento Interuniversitário em Estudos de Género (UL/UNL). É membro integrado do Centro de Estudos Comparatistas, onde desenvolve investigação nas áreas de Estudos de Memória e Emoções, Estudos de Cinema e Estudos de Género.

 

Marta Pacheco Pinto é Professora Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Doutorada em História da Tradução (2013), é investigadora do Centro de Estudos Comparatistas, onde coordena os projectos MOV. Corpos em Movimento: Circulações, Narrativas e Arquivos em Tradução e TECOP. Textos e Contextos do Orientalismo Português: Os Congressos Internacionais de Orientalistas (1873-1973) (financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia em 2016-2019, PTDC/CPC-CMP/0398/2014). Os seus interesses de investigação incidem sobre a história da tradução em Portugal (focando, em particular, as relações culturais entre Portugal e o Japão), o orientalismo português e os estudos genéticos de tradução.

 

Nicola Ferrari ensina Literatura Comparada, Teoria Literária e Estrutura Narrativa na Universidade de Génova. Faz parte da equipa de investigação InfoMus-Casa Paganini e do Conselho Editorial da revista Transparenze. Desenvolve investigação acerca da relação entre literatura e música. Curou a tradução e edição de obras de Morgenstern, Desnos, Gil Albert e Pérez Galdós.

 

Santiago Pérez Isasi é Investigador Principal no Centro de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde actualmente desenvolve o projecto  de investigação “A digital meta-history of literatures in the Iberian Peninsula: methodological exploration and prototype”. Entre 2015 e 2020 foi o PI do projecto ‘Digital Map of Iberian Literary Relations (1868-1936)’, financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). É co-autor de De espaldas abiertas. Relaciones literarias y culturales ibéricas (1870-1930) (2018, with Antonio Sáez Delgado) e co-editor de Looking at Iberia. A Comparative European Perspective (2013, with Ângela Fernandes) ou Perspetivas críticas sobre os estudos ibéricos (2019, with Cristina MArtínez Tejero), entre outros. Junto com Esther Gimeno Ugalde, é também co-editor da International Journal of Iberian Studies (IJIS) e coordenador do projecto IStReS – Iberian Studies Reference Site.